Uma loja de produtos esportivos americana lançou uma linha inteira de peças para mulheres plus size em novembro. Sendo assim, chamou uma modelo fora dos padrões para a campanha, a jovem Anna O’Brien, de 25 anos. O problema é que, quando anunciou a mulher escolhida para representar a marca, a empresa se tornou alvo de críticas.

As críticas não foram de apenas “não gostei” e afins, elas foram muito mais pesadas. Os agressores achavam que a modelo deveria ser a última pessoa a representar uma academia.

Um usuário disse: “Isso é nojento. Vocês estão fazendo ser gordo parecer algo bom. As pessoas deveriam se envergonhar de serem gordas, não sentir orgulho”.Outro foi sarcástico: “Pessoas gordas se exercitam?”

Anna, em uma de suas fotos, explica a sua situação e espera estimular outras pessoas a seguirem o mesmo caminho. “Eu passei 25 anos esperando para ser ativa. Agora, vou passar os próximos 25 anos ajudando pessoas de todos os tamanhos a verem os benefícios de se movimentar” .

Mas teve também que saísse em defesa da atitude da empresa  em incluir uma numeração maior em suas roupas passaram a responder as ofensas. “Este é o perfeito exemplo do porquê pessoas plus size, incluindo a mim mesma, têm tanta dificuldade em colocar o pé em uma academia. Sou uma das pessoas com problemas de saúde por conta do peso e estou tentando resolver isso com dieta e exercícios. Entretanto, de acordo com você, eu não mereço roupas de academia para treinar. Decida-se, moça”, escreveu uma usuária.

Fonte: IG