“Para deixar de transar basta casar”, diz atriz da peça “A História de Nós 2”

0
330

Em Porto Velho para encenar a peça “A História de Nós 2”, comédia teatral, os atores globais Alexandra Richter e Bruno Garcia concederam entrevista na manhã deste sábado,02, em coletiva de imprensa no Hotel Slavieiro. O espetáculo será neste sábado,02, às 20 horas, e amanhã,03, às 19 horas, no Teatro Palácio das Artes. Ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro ao longo do dia.

Sobre a peça que retrata peculiaridades da vida de um casal de forma bem humorada, Alexandra Richter avaliou que o casamento se transformou . “Não sou uma mulher romântica e sei de todas as dificuldades que se enfrenta para continuar casada”, afirma Alexandra que mantém um casamento de vinte anos.

“A pessoa que diz que a paixão é como o primeiro dia é mentira”, dispara. “Quem diz que transa todo dia é mentira. A pessoa casada não vai transar todo dia . Para parar de transar basta casar, inclusive” , afirma, em tom de brincadeira , um dos trechos da fala da personagem.

Na ocasião, os atores fizeram uma avaliação do cenário nacional, no que tange a crise institucional com sucessivos escândalos de corrupção e do desafio de se viver de arte  num País onde cultura não é prioridade.

Questionada sobre o engajamento político de artistas, a atriz observou : “Eu acho que todo cidadão deve se engajar . A gente tá vivendo uma época em que as pessoas devem se posicionar”.

Longe do bom humor que norteia as cenas vividas no palco com a peça em cartaz, Bruno Garcia reconhece as dificuldades financeiras do mundo artístico.  “Eu dei sorte porque fui contratado por uma empresa da qual Alexandra é uma das sócias, que resolveu levantar o espetáculo sem patrocínio. É uma grande ousadia que tem se mostrado bastante exitosa porque tem dado retorno. Crise você tem que atravessar e não ficar lamentando”, avalia.

Segundo ele, teatro é difícil de se fazer até em momento de bonança , principiante no Brasil ,onde há falta de incentivos. Diante do palco, a TV e o cinema , o ator ressalta que o teatro é a base de tudo. ” Se a gente faz cinema, faz teatro. “Se a gente faz televisão, faz teatro. Se a gente faz teatro, faz teatro”, conclui parafraseando a mestre das artes cênicas Fernanda Montenegro.

Texto: Jornalista João Albuquerque; Editado por: Blog de Ponta Cabeça

Foto: Agenda Porto Velho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

5 × cinco =